A violência contra mulheres nos Municípios de Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis


Tecle Mulher - Assessoria e Pesquisa no âmbito dos Direitos da Mulher - O Tecle Mulher É A Assessoria e Pesquisa no âmbito dos Direitos da Mulher é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público- OSCIP com CNPJ devidamente regularizado e sediada em Nova Friburgo RJ. A instituição tem por missão...

Tecle Mulher - Assessoria e Pesquisa no âmbito dos Direitos da Mulher - O Tecle Mulher É A Assessoria e Pesquisa no âmbito dos Direitos da Mulher é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público- OSCIP com CNPJ devidamente regularizado e sediada em Nova Friburgo RJ. A instituição tem por missão promover globalmente os Direitos Humanos de forma ampla, com ênfase nos Direitos e Cidadania das Meninas e Mulheres Brasileiras em todas as suas diversidades e vem atuando, dentro dos seus objetivos, desde 2006 tendo em seu quadro profissionais capacitados e especializados. Através do seu serviço de atendimento virtual do Tecle Mulher -www.teclemulher.com.br- faz parte da REDE Nacional de Atendimento do número 180 da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres desde o ano de 2010.

A violência contra a mulher é uma questão muito séria e que vem atingindo todas as sociedades de forma dramática. Nenhum município do país está imune a esse cancro social e os dados atuais revelam que a cada hora e meia uma brasileira é morta por quem mantém uma relação de afeto. Os dados dos municípios do interior do RJ são alarmantes e não menores que os das populações das grandes cidades. Com a finalidade da comprovação desta afirmação, realizamos uma pesquisa especÍfica, dentro de dados oficiais relacionados ao ano de 2017, que apresentamos a seguir:

A pesquisa aqui apresentada foi realizada pela Organização da Sociedade Civil Tecle Mulher e a Assessoria e Pesquisa no mbito dos Direitos da Mulher e visa oferecer parâmetros reais para a visibilidade da violência contra a mulher que acontece nas cidades da região serrana do Estado do Rio de Janeiro. Desta forma, viabilizar que as políticas públicas já implantadas sejam mantidas de forma a cumprirem suas funções e objetivos e que outras sejam implementadas o mais breve possível, garantindo as vidas e dignidade das mulheres serranas.

Os dados foram retirados do Dossiê Mulher 2018 do Instituto de Segurança Pública do RJ e ISP RJ (*), os quais se referem às denúncias realizadas nas Delegacias do Estado do Rio de Janeiro.
Relacionando as denúncias as Áreas Integradas de Segurança Pública - AISP 11 (Nova Friburgo, Duas Barras, Cantagalo, Cordeiro, Macuco, Santa Maria Madalena, Trajano de Morais e Bom Jardim); AISP 26 (Teresópolis, Vale do Rio Preto, Sumidouro e Carmo) e AISP 30 (Petrópolis, Itaipava, Pedro do Rio, Posse e Paciência) formaram um total de 4.060 denúncias nessas regiões também entendidas como Região Serrana.
O Município de Nova Friburgo, com um total de 182.082 habitantes (cento e oitenta e dois mil e oitenta e dois habitantes) - IBGE 2017- apresentou um total de 1. 650 (um mil e seiscentas e cinquenta) denúncias; O Município de Teresópolis com uma população de 191.817 apresentou 1.582 (um mil e quinhentas e oitenta e duas) denúncias e o Município de Petrópolis com 295.917 habitantes foram apresentadas 1.568 ( um mil e quinhentas e sessenta e oito denúncias. É necessário ressaltar que, segundo pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 30% das ocorrências são denunciadas .
O Município do Rio de Janeiro, capital do Estado do Rio, com uma população de 6.520 266 (seis milhões e quinhentos e vinte mil e seiscentos e sessenta e seis habitantes) IBGE 2017 - apresenta, no mesmo período, um total de 42.970 denúncias.


Dentro deste perfil, determinamos o parâmetro de 100.000 habitantes para quantificar a proporcionalidade entre as ocorrências denunciadas nos Municípios de Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis e o Rio de Janeiro, considerada uma das cidades mais violentas do país.
Como conclusão, apresentamos os seguintes dados relacionados À pesquisa:
Município de Nova Friburgo: 906,185 denúncias para 100.000 habitantes
Município de Teresópolis: 824,74 denúncias para 100.000 habitantes
Município de Petrópolis: 529,848 denúncias para 100.000 habitantes
Município do Rio de Janeiro: 659,022 denúncias para 100.000 habitantes
Notamos então que as regiões de Nova Friburgo e Teresópolis estão com os índices oficiais de violência relacionados às mulheres maiores que os da capital do Estado do Rio de Janeiro.


Avaliamos que essas indicações possam referendar ao acesso das mulheres As políticas especializadas (Delegacia da Mulher- DEAM, Centros de Referência da Mulher, Juizados Especiais de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher) para garantir a aplicação da Lei Maria da Penha como meio de proteção Às mulheres que necessitam ajuda. Vale informar que ainda não existe na região uma Casa de Acolhimento Provisório para mulheres em situação de risco de morte.
É necessário que todos os equipamentos especializados estejam atuando em REDE com os demais serviços públicos nas Áreas: Social (CRAS e CREAS); da Saúde para que seja um atendimento fundamentado nas normas técnicas da OMS e MS; na Educação, como determina a Lei Maria da Penha; na Comunicação para ampla divulgação das políticas públicas existentes e demais organizações que visem a garantia dos direitos da mulher, como o Tecle Mulher.
(*) http:// www.isp.gov.br

Tecle Mulher - Assessoria e Pesquisa no mbito dos Direitos da Mulher - O Tecle Mulher É A Assessoria e Pesquisa no mbito dos Direitos da Mulher é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público- OSCIP com CNPJ devidamente regularizado e sediada em Nova Friburgo RJ. A instituição tem por missão promover globalmente os Direitos Humanos de forma ampla, com ênfase nos Direitos e Cidadania das Meninas e Mulheres Brasileiras em todas as suas diversidades e vem atuando, dentro dos seus objetivos, desde 2006 tendo em seu quadro profissionais capacitados e especializados. Através do seu serviço de atendimento virtual do Tecle Mulher -www.teclemulher.com.br- faz parte da REDE Nacional de Atendimento do número 180 da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres desde o ano de 2010.

DESENVOLVIDO POR

observatorio agencia criativa